Logo Revista de Cultura

27 de fevereiro de 2021

o coração fica aloprado: UM LIVRO DE CARLA DIACOV – O PRIMEIRO DO SELO ACABAMOS

Erica Magni

Carla Diacov por Carla Diacov

Primeiro livro do selo Acabamos, escrito pela poeta Carla Diacov, traz 13 títulos para atravessar mais um ano de pandemia, desespero e poesia, sem carnaval.

É com muita ousadia e alegria que estamos lançando o primeiro livro com curadoria do selo Acabamos, uma iniciativa da equipe da Coluna Translação para viabilizar publicações, a princípio digitais, por aqui mesmo, na plataforma do Revistas de Cultura. Nossa ideia é facilitar e simplificar ao máximo a execução de projetos literários de artistes LGBTQIA+, confrontando o excludente e inacessível mercado editorial brasileiro, muitas vezes restrito a públicos muito específicos.

Infelizmente, poder idealizar e realizar um livro ainda é um privilégio para poucos num país de artistes que convivem com uma severa e eterna crise cultural. Com essa proposta de viabilizar experimentos, o selo Acabamos prevê uma atuação pontual, no que vislumbramos como um pontapé inicial, um chute nas formas, luz à voz do que se pretende chamar de um “livro digital”, que existe enfim, sem seguir regras gráficas ou obrigações técnicas que demandam uma publicação tradicional.

Está sendo um passo importante para a coluna Translação. Estamos saindo da forma junto com quem nos lê, ou lerá no futuro. Sabemos que é uma grande responsabilidade carregar e projetar ideias de outres artistes. Não queríamos errar, visto que já acabamos. Assim, cremos que o risco do erro mora no passado, pois não se trata mais de uma possibilidade. Acabamos e agora queremos apenas propor soluções práticas para que livros nasçam de lugares impossíveis. Também sabemos que faz parte do crescimento da coluna romper com o formato tradicional do conteúdo apresentado. Achamos que acabar, e manter-se no fluxo dessa sensação, seria um bom caminho agora.

Cada edição da Coluna Translação traz um compromisso com uma tentativa nova de ampliar a vozes de artistes. Cada mês engendramos uma relação diferente, com pessoas diferentes, propostas diferentes, ímpares.  Desta maneira, acreditamos que nossa primeira colab, logo com a Carla Diacov, será um soco na boca do oco inerte que habita o mundo das ideias. Ela é uma poeta que nasceu em São Bernardo do Campo, felizmente já possui uma lista de livros incríveis lançados por editoras conceituadas no mercado literário. Agora, para nossa alegria, soma o coração fica aloprado ao seu currículo, um livro lançado por nós, um livro lançado por ela, um livro que nasce do simples desejo de fazer títulos. E este que chamamos de livro, e que foi carinhosamente batizado por ela como o coração fica aloprado, traz 13 títulos inéditos para atravessar essa pandemia sem vacina, num ano trágico para tantos seres sobreviventes até aqui. Esperamos que agrade!

Carla Diacov por Carla Diacov

Carla Diacov, São Bernardo do Campo, 1975.

Amanhã Alguém Morre no Samba (Douda Correria, 2015/Edições Macondo, 2018), Ninguém Vai Poder Dizer que Eu não Disse (Douda Correria, 2016), A Metáfora mais gentil do mundo gentil, (Macondo, 2016), Bater Bater no Yuri (livro online pela Enfermaria 6, 2017), A Munição Compro Depois (Cozinha Experimental, 2018), A Menstruação de Valter Hugo Mãe (Casa Mãe, Portugal, 2017/Edições Macondo, 2020), : pescoço x sobreviventes (Garupa, 2021).

Por Érica Magni

& Equipe Acabamos

Verão 2021

Compartilhe

Voltar ao topo

Postagens populares

Erica Magni

25 de novembro de 2020

UM CHÃO PARA BIA E UM MANIFESTO PARA O MUNDO

Bianca Kalutor lança manifesto inédito e convoca a sociedade para uma chamada pública sobre moradia urgente

Erica Magni

16 de setembro de 2020

A BRASILEIRA QUE FEZ LA FEMME COMER LA NATURE DE FRANK BURBAGE

Cecilia Cavalieri fez seu jorro ir tão longe, até chegar onde publicou, em língua francesa, o LA FEMME – o que ela não chama de livro e sim de dispositivo contracolonial de discurso filosófico.